Posted in Novidades, Sem categoria, on 6 setembro 2019, by , 0 Comments

A famosa e reconhecida internacionalmente Cachaça Brasileira tem o seu dia de comemoração: 13 de setembro.

Essa data foi aprovada no ano de 2010 pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, devido aos acontecimentos históricos ocorridos no Brasil nesta data.

Desde o Brasil Colonial, a produção de cachaça era muito importante para a economia no Brasil. Com o aumento da produção e consumo da cachaça brasileira, houve uma redução drástica no consumo de Bagaceira, o destilado importado de Portugal.

A Corte Real Portuguesa, muito incomodada com esse fato, em 1649, por meio de uma Carta Real, proibiu a fabricação e comercialização da cachaça em todo o território brasileiro.

Com o passar dos anos, indignados com o impostos cobrados e a perseguição em relação à venda e produção da cachaça, os proprietários de plantação de cana de açúcar e de alambiques, se revoltaram, e no ano de 1661, tomaram o poder no Rio de Janeiro por um período de mais ou menos 5 meses, resultando assim, em um dos primeiros movimentos de insurreição nacional, que ficou conhecido com a Revolta da Cachaça.

No dia 13 de setembro de 1661, a corte portuguesa, assinou uma permissão para a produção e comercialização da cachaça no Brasil.

O IBRAC (Instituto Brasileiro da Cachaça) afirma que a cachaça brasileira se tornou um símbolo nacional, por ser diferenciada de outras produções feitas pelo mundo. Possuímos uma grande diversidade de madeiras, dando a bebida sabores e aromas únicos.

Mas ela também tem suas regras de fabricação. A cachaça tradicional deve ser feita exclusivamente do caldo de cana fresco, isto é, a cana deve ser colhida e processada no período de 24h. Além disso, também não é permitido qualquer tipo de infusão no caldo da cana (frutas e ervas), e deve ter no mínimo 38% de álcool.

Existe também 3 tipos de variações de cachaça: A adoçada, que é produzida com adição de açúcar, a armazenada em tonéis de madeira e a envelhecida, que para ser reconhecida dessa forma, no mínimo 50% da produção deve ser estocada em barril por no mínimo 1 ano.

Claro que todo esse cuidado e qualidade traria resultados ao Brasil, atualmente segundo o IBRAC, cerca de 8,75 milhões de litros de cachaça são exportadas para mais de 60 países todos os anos.

Histórias a parte, vamos comemorar esse dia 13 de setembro com uma deliciosa cachaça?

Pode ser como caipirinha, em outros drinks ou pura mesmo, o importante é comemorar 😉

Continue vendo...

Posted in Novidades, Sem categoria, on 21 agosto 2019, by , 0 Comments

No capítulo de segunda feira 19/08/2019, em uma novela da Emissora Globo, foi aberta uma garrafa de uma das champagnes mais famosas do mundo: Dom Pérignon.

Muitas pessoas ainda não conhecem a lenda em torno dessa Champagne, e você conhece?

Diz a lenda, que o champagne foi descoberto pelo monge Dom Pérignon, no século 18. Ele era responsável pela produção do vinho do convento, e ao abrir uma das garrafas percebeu que o líquido estava borbulhante, e teria dito a marcante frase: “Estou bebendo as estrelas!”

Lendas a parte, ele teve um papel importante sim na criação dessa bebida, pois ele conseguiu controlar a fermentação, adicionando no vinho leveduras para o surgimento da segunda fermentação na garrafa e reforçou essas garrafas para evitar que elas explodissem.

Mas o fato é, que a partir de 1800, champagne virou sinônimo de sofisticação, glamour e celebrações. Um de seus maiores fãs, era Napoleão Bonaparte que teria dito a famosa frase sobre a bebida: Nas vitórias é merecido, nas derrotas é necessário”.

Saint

Continue vendo...

Posted in Novidades, Vinhos, on 2 agosto 2019, by , 0 Comments

O URUGUAIO Álvaro Mangino, fundador da Vinícola Boutique Valle de Las Lágrimas, renasceu no dia 13 de outubro de 1972 quando o voo da Força Aérea Uruguai 571, caiu na Cordilleira dos Andes com 45 tripulantes a bordo.

Dessa terrível tragédia, houve somente 16 sobreviventes, dentre eles o Álvaro. Essa tragédia histórica resultou em alguns livros e filmes, o mais conhecido “Alive” de 1993. Álvaro foi o último sobrevivente a ser resgatado, no dia 23 de dezembro de 1972, após 71 dias da queda do avião.

Agradecido a Deus por ter vivenciado um verdadeiro milagre em sua vida, ele apostou na sua paixão por vinhos e fundou a vinícola “Valle de Las Lágrimas”, que é uma homenagem aos tripulantes que não sobreviveram na tragédia.

Todos os vinhos dessa vinícola são produzidos com sentimentos, são cheios de personalidade, com grande cuidado e zelo, que você consegue sentir em sua evolução a cada taça.

Um brinde a vida!

Continue vendo...

Posted in Vinhos, on 3 maio 2019, by , 0 Comments

Muito bem!!! Após uma provocadora preliminar sobre como será nossa jornada de inverno, nosso roteiro delicioso no universo dos tintos, vamos direto ao assunto, pois o período de baixas temperaturas está chegando e não temos tempo a perder.

Preparou sua taça???

Existem muitos conceitos importantes que poderão “nortear” sua degustação e auxiliar na sua preferência com este ou aquele país, produtor e variedade.

Primeiramente é importante saber que existem duas importantes escolas de vinho, e acredito ser útil saber identificá-las: Vinhos do velho mundo, novo mundo e novíssimo mundo.

Basicamente, o que difere essas duas escolas, são:

No caso do “velho mundo”, normalmente, os europeus (Portugal, França, Espanha, Itália), a forma de vinificação ainda é muito tradicional, respeitando determinações legais, antigas tradições e métodos mais conservadores na produção, também não é comum a divulgação das variedades utilizadas, sendo mais importante e valorizado  o nome da região de produção do vinho, a arte do produtor, os enólogos, as denominações de origem e controle (DOC).  Costumam ter maior longevidade, consequentemente, são vinhos com tendência a ser mais valorizados e caros, mas há boas exceções (que particularmente adoro os chamados “vinhos custo x benefício” dessas regiões).

Já os vinhos do “novo mundo”, como Austrália, África do Sul, Califórnia, Brasil, Chile, Argentina, tem como características, maior abertura as inovações tecnológicas na produção, a divulgação das variedades nos rótulos, normalmente vinhos produzidos para serem consumidos mais jovens ou com média de guarda de 04 a 05 anos, produtores mais recentes, enólogos mais ousados e abertos a combinações das variedades (blends) e o que é melhor, normalmente são vinhos com tendência a melhor relação “custo x benefício”, mas também há suas exceções.

Proponho começarmos a experimentar vinhos do novo mundo. Geralmente são os que mais agradam o degustador brasileiro. Neste sentido, o campeão de vendas são os vinhos chilenos.

Como são bons!!!! E como o Chile é importante neste universo!!!! Defini, será no Chile nosso primeiro desembarque.

Abra um delicioso tinto da uva Cabernet Sauvignon, conhecida como “a rainha das uvas”, ela é o resultado entre o cruzamento das uvas Cabernet Franc e Sauvignon Blanc. Essa uva se caracteriza pela coloração rubi intenso e brilhante, o aroma varia um pouco devido ao terroir, mas normalmente encontramos aroma de frutas escuras (ameixa preta, cereja, groselha), com notas vegetais de cassis amadeirado. Em boca de apresenta com taninos densos e equilibrados, sempre com o gostinho de quero mais. Nessas variações de terroir e vinificação, podemos ter uns muito amadeirados até os ligeiros (não passam por madeira e tem taninos menos estruturados).

Indicações pessoais minhas (custo x benefício): INSPIRA RESERVA CABERNET SAUVIGNON, VEO ULTIMA RESERVA CABERNET SAUVIGNON, mas se você estiver disposto a “investir” um pouco mais, o COUSINO MACUL RESERVA ESPECIAL LOTA vale muito a experiência, maravilhosa por sinal, que ele proporciona na boca.

Não importa qual você deguste, mas se atente a cada detalhe, analise mesmo, cheire sim! Somente dessa forma, vamos aprimorando nosso conhecimento.

Saúde.

Enófilo Joel de Jesus

Continue vendo...

Posted in Eventos, Novidades, Vinhos, on 17 abril 2019, by , 0 Comments

Em 2011 se iniciou a comemoração Dia Mundial da Malbec (Malbec Day) no dia 17 de abril.
Essa comemoração foi criada pela organização Wines of Argentina, com o intuito de comemorar o desenvolvimento da uva mais emblemática do país, a Malbec, que também marcou importante passo para a transformação da vitivinicultura do país.

Essa data foi escolhida porque essa uva chegou a Argentina no dia 17 de abril de 1853, pelas mãos do agrônomo francês Michel Aimé Pouget. Nessa época, havia um esforço do governo da Argentina para melhorar a indústria do país com base na incorporação de novas variedades de cepas.
Para quem não sabe, a Malbec se originou no sudoeste da França, na cidade de Cahors, onde era mais conhecida por “Cot”. O que ninguém esperava é que, 10 anos depois de chegar a Argentina, em 1863, praticamente todas as vinhas europeias seriam dizimadas pela filoxera, o que diminuiu drasticamente o cultivo de Malbec na europa.
Além disso, a geada de 1956, outro trágico episódio da história da vitivinicultura da França, fez com que os únicos vinhedos originais de Malbec se encontrassem na Argentina. Foi nas tragédias francesas que os argentinos viram a oportunidade de reposicionar o vinho nacional ao redor do mundo e, em 1997, produziram o primeiro Malbec de qualidade superior, com envelhecimento em barril de carvalho.
Presente em praticamente todo o país, a Malbec é conhecida como a uva emblemática da Argentina, produz vinhos de diferentes estilos e com características que variam a cada terroir. Mas, apesar dos terroir diferentes, pode esperar aromas de ameixas maduras e o frescor de folhas de menta como características marcantes. A Malbec também é famosa por seus vinhos encorpados, repletos de taninos potentes (que se tornam macios por estágios em barris de carvalho).
A melhor maneira para comemorar o sucesso da Malbec na Argentina e no mundo é, sem dúvida, brindando com uma taça de Malbec.

Um brinde a Vida! 😉

Continue vendo...

Posted in Vinhos, on 2 abril 2019, by , 0 Comments

Com a chegada do outono onde as temperaturas ficam mais amenas, dias mais frescos, o calorão do verão vai se despedindo, é inevitável a gente começar a repensar a adega de nossa casa. Aos poucos o espaço dedicado aos vinhos brancos e roses, espumantes, champagnes e proseccos, vão sendo substituídos pelos vinhos tintos, com a missão de nos aquecer e harmonizar com as deliciosas comidas dos dias frios (amamos muito tudo isso)!

E por falar nos tintos, é sempre bom relembrar que este universo é rico, amplo, variado, com uma infinidade de possibilidades para agradar todos os paladares. Dos mais simples aos mais exigentes.

Há os tintos mais leves, de médio corpo, os encorpados, os super encorpados, os de guarda, os jovens, enfim…tantos e quantos…todos na honrosa missão de contribuir com sua refeição e te encantar nos encontros de amigos, familiares e românticos.

Este espaço será dedicado semanalmente a uma viagem gostosa, deliciosa e provocante ao universo encantador dos vinhos tintos, a fim de que a cada leitura você sinta uma imensa vontade de chamar uma pessoa querida e compartilhar de um vinho.

Nesta incrível jornada de leitura e releitura dos tintos, passearemos por vários países com protagonismo na produção de vinhos, nos aventuraremos a conhecer algumas uvas que não são tão populares, e com certeza abordaremos também as que já são presença obrigatória na adega de qualquer amante de vinho.

Não se preocupe se você não for um grande entendedor dessa bebida dos deuses. A gente vai te ajudar a encontrar o vinho que melhor se adapte ao seu gosto e paladar. Essa conversa é apenas um prelúdio aos vinhos tintos. Fique tranquilo!!!!

E para você não passar vontade, não ficar ansioso e nem salivando, louco pra degustar um vinho tinto esta semana, indico o delicioso e leve VINHO CHILENO LAS CENIZAS GRAN RESERVA PINOT NOIR, excelente para acompanhar massas com molhos mais leves.

Você é nosso convidado para acompanhar nossas futuras publicações deste blog.

Prepare sua taça, chame seus amigos e familiares, que nossa viagem será uma delícia!!!!!

Até breve.

Enófilo Joel de Jesus

Continue vendo...

Posted in Novidades, Vinhos, on 30 novembro 2018, by , 0 Comments

Sempre buscando novidades, a Freixenet decidiu inovar o verão brasileiro com a bebida típica do verão espanhol: o lançamento da linha Mía Sangría, ideal para brindes especiais com amigos e família.

A linha Mía Sangría é composta por dois rótulos: Mía Sangría Classic Royal e Mía Sangría White Frizzant.

Mía Sangría Classic Royal mantém coloração de vinho e destacam -se os aromas de frutas cítricas, principalmente laranja e limão. Já a versão Mía Sangría White Frizzant é uma mescla de vinho branco com pequenas e finas borbulhas com leve toque de limão e laranja. Com notas frescas e extraordinário equilíbrio entre o vinho e a fruta, as 2 bebidas lembram a típica sangría servida nos bares da região da Espanha.

Com 150 anos de história e presente há 20 anos de mercado brasileiro, a Freixenet partilha com cada rótulo, cada um com uma particularidade e uma história, os produtos da Freixenet tem o perfil ideal para brindar todos os grandes momentos da vida.

Continue vendo...

Posted in Eventos, Novidades, on 22 outubro 2018, by , 0 Comments

Halloween chegou para ficar de vez no Brasil, virou uma tendência festa com esse tema.

O que todos concordamos é que cada detalhe é fundamental, a decoração precisa ser assustadora e descontraída, valorizando os principais símbolos do dia das bruxas.

O comes e bebes, contribuem muito com a decoração da mesa de Halloween, macarrão de minhocas e gelatinas em formato de cérebro, fazem muito sucesso. Nesse clima separamos algumas receitas de drinks para vocês, vamos conferir?!

 

BLOODY MARY | SANGUE NO TUBO

Ingredientes
2 partes de Vodka Absolut
3 partes de suco de tomate
¼ parte de molho inglês
¼ parte de suco de lima-da-pérsia
2 dashes de molho de pimenta
1 colher de chá rábano silvestre
1 pitada de pimenta preta moída
1 pitada de sal

Modo de preparo
Mexer todos os ingredientes em um copo misturador. Despejar em um copo alto cheio de cubos de gelo. Para deixar a apresentação bem sombria, distribua as bebidas em tubos de ensaio para que fiquem parecendo sangue!

DRINK DE CEREJA | DRINK DE OLHOS

Ingredientes
Gelo triturado
6 taças
6 cerejas
6 colheres de sopa de xarope ou licor de cereja
4 xícaras de água com gás

Modo de preparo
Primeiro, coloque a cereja no fundo de cada taça. Em seguida, coloque também o gelo triturado. Adicione uma colher de xarope ou licor de cereja em cada taça. Depois, termine com água com gás a gosto. Você pode decorar cada taça com olhos de plástico no fundo de cada uma, fica assustador!

DRINK LARANJA MECÂNICA | ABÓBORA SELVAGEM

Ingredientes
50 ml de cachaça Yaguara
80 ml de suco de abóbora
10 ml de suco de limão siciliano
Pimentas de cheiro

Modo de preparo
Bata 300 g de abóbora no liquidificador e coe para obter o suco do fruto. Misture 80 ml do líquido com o suco de limão siciliano, a cachaça e bata na coqueteleira. Coe em um copo on the rocks com uma pedra grande de gelo e, se quiser, decore com uma pequena fatia de abóbora junto das pimentas de cheiro.

 

CAIPIRINHA DE MARACUJÁ | DRINK TEIA DE ARANHA

Ingredientes
1 maracujá
2 e ½ colheres de sopa de açúcar ou 1/3 de uma lata de leite condensado
3 pedras de gelo trituradas
Gin Gordon’s (mais ou menos de 30 a 50 ml)

Modo de preparo
Você precisará de uma coqueteleira, comece colocando todos os ingredientes na coqueteleira. Agite bem, mas não bata no liquidificador, essa receita fica melhor quando misturada com a agitação manual. Você pode optar por deixar os caroços do maracujá inteiros, para criar um visual legal.

Boa festa 😉

Fonte Guia da Semana
Continue vendo...

Posted in Novidades, Vinhos, on 16 outubro 2018, by , 0 Comments

Freixenet Ice é o novo conceito de Cava, pois é o primeiro a ser produzido, especialmente para ser consumido com gelo.

Segundo Fabiano Ruiz, diretor executivo do grupo Freixenet no Brasil, a ideia do Freixenet Ice é atrair novos e jovens consumidores para a marca, incentivando-os a consumir Cavas e Espumantes em geral de uma maneira divertida e relaxante. “Freixenet Ice é feita, sobre tudo para jovens, elegantes, espontâneos que estão em busca de algo novo e fresh.”

A Ice Brut, é elaborado com as uvas Macabeo, Xarel-lo, Parellada e um toque de Chardonnay, surpreende pela refrescância, com notas de pêssegos, peras, flores e frutas tropicais, este Cava foi desenvolvido para ser apreciado em taças grandes com cubos de gelo e na preparação de drinks, além de harmonizar muito bem com sobremesas.

Já a Ice Rosé, é produzida com blend das uvas Garnacha, Pinot Noir e claro Chardonnay com seu intenso aroma de frutas vermelhas, framboesas e morangos, é uma ótima pedida para os dias mais quentes, podendo ser apreciado apenas com gelo ou combinado com sucos e frutas. Harmoniza perfeitamente com coquetelaria, queijos cremosos e sobremesas.

Com uma proposta jovem e descontraída, o Freixenet ICE deve ser degustado em uma grande taça de vinho apenas com pedras de gelo, misturado com morango ou até mesmo com um toque de hortelã, ideal para coquetéis em festas ao ar livre ou em encontro com amigos.

Curioso?

Bora experimentar 😉

Continue vendo...
X